Canadá - Preparativos



Olá pessoal! Tudo bem?

Resolvi reativar o blog, pois tenho recebido muitos pedidos de dicas da viagem que eu fiz, após verem minhas fotos do Instagram. Por aqui eu consigo organizar melhor minhas ideias e alcançar um número maior de pessoas ao mesmo tempo.

Bom, para começar, vamos do início (claro né? haha). Meu planejamento de ir ao Canadá começou a surgir deeeesde quando meu namorado (agora noivo) foi passar 6 meses lá, fazendo intercâmbio, e vocês podem ler mais sobre essa experiência de morar longe do meu amor aqui. Tudo o que ele via, conhecia, visitava, ele me contava e me mandava fotos, além de que sempre dizia "um dia ainda volto aqui com você". Eis que essa possibilidade surgiu de forma mais concreta ano passado (2014).

Como nós estávamos trabalhando e conseguiríamos tirar férias na mesma época, por que não tentar realizar esse sonho (ver neve era um dos meus maiores sonhos da vida)?
No reveillon de 2013/2014 já passamos a virada prometendo: esse ano nossa viagem SAI. E desde janeiro comecei a pesquisar muito sobre passagens, estações do ano, hoteis, restaurantes, visto, enfim, tudo que era necessário para nossa viagem.

Então aqui segue uma lista de coisas IMPORTANTES e DIFERENCIAIS para se olhar com antecedência:

PASSAGENS: Gente, esse item é o mais importante de TODOS. Não só porque sem elas você não vai a lugar algum, mas porque a diferença de preço é simplesmente absurda. Nós compramos nossa passagem em março/2014. Conseguimos uma tarifa de U$980 por pessoa, voando pela Air Canada. A vantagem da Air Canada é que ela vai direto pro Canadá, não faz escala nos Estados Unidos (o que, no meu caso, foi uma mão na roda porque eu ainda não tenho o visto americano, então só precisaria me preocupar com o visto canadense). Geralmente as tarifas da Air Canada são mais caras que as outras. Se você tem visto americano, ÓTIMO, pega a mais barata e faz sua escala no EUA sem medo. Mas se você não tem, procura avaliar se essa diferença de preço das outras cias pra Air Canada vai valer o seu esforço de tirar o visto americano só pra fazer uma escala (pois além das taxas, no caso de quem é de Juiz de Fora-MG, ainda gastaria com viagem ao consulado para a fotos/recolhimento de digitais e entrevista). Como olhamos com antecedência, a Air Canada era a mais barata, então ela foi a melhor opção de qualquer forma. Olhamos pelo site da Decolar, mas acabamos comprando com a Camila, uma amiga minha, que trabalha na agência STB que fica no bairro Alto dos Passos-Juiz de Fora. Além de ela conseguir um descontinho pra nós, a assistência que ela nos deu foi maravilhosa, sempre disposta a ajudar e com muuuuitas dicas, pois também morou no Canadá por 6 meses (e AMA o país). Além disso, a Camila nos deu um KIT VIAGEM incrível, com etiquetas para as malas, check list do que você não pode levar, e o que não pode esquecer, compartimentos para as passagens, saquinho para levar líquidos no avião... Enfim, uma fofura! Caso vocês precisem do contato dela, só me pedirem que eu passo.

Bom, curiosa que sou, continuei olhando os preços das passagens regularmente até o dia do nosso vôo (QUE, POR SINAL, FOI DIA 31/12/2014! Sim, passamos o reveillon no avião e foi uma experiência muito diferente e divertida! Mas eu falarei disso depois, no roteiro!)... E a diferença foi assustadora. Faltando uns 2 meses para a viagem as MESMAS passagens estavam pelo DOBRO do preço!!! Eu não acreditei! Essa é a hora que você pensa: valeu a pena planejar.

VISTO: O Canadá exige visto para brasileiros. Precisa, portanto, obviamente, de passaporte. Caso você ainda não o tenha, fazer o passaporte é o primeiro passo de tudo. Caso você já tenha, vamos lá. O visto canadense não precisa de entrevista (como o americano), portanto você pode solicitar de onde você estiver. Aqui em Juiz de Fora (e acredito que em muitas cidades também tenham), mais especificamente no Independência Shopping, existe a Multivistos, que pode te ajudar muito nesse procedimento. Mas como o Dudu (vulgo: meu noivo) está morando em São Paulo, optamos por fazer o visto por conta própria, e deu MUITO certo, sem contar a economia, porque essas empresas de visto cobram taxas beeeem carinhas! Se você não tiver a oportunidade de ir a São Paulo, Rio de Janeiro ou Brasília para resolver isso, ou se estiver um pouco inseguro quanto ao procedimento, pagar as taxas dessas empresas valem super a pena.
Para me orientar nesse processo de visto, utilizei um post de um blog que explicou EXATAMENTE o que precisa ser feito, o Como Viaja!, e você chega no passo-a-passo clicando bem aqui.
Não vou me prolongar, pois nesse post que vocês vão clicar tem exatamente tudo o que precisam saber sobre o visto. Aconselho utilizarem o VAC, pois tentamos dias e dias marcar diretamente no consulado, e simplesmente NÃO CONSEGUÍAMOS. Como o VAC parece que tem livre acesso no consulado, eles fazer o trabalho por nós. A taxa do VAC está R$67,28 e valeu cada centavinho gasto "a mais" no visto (porque além disso, é preciso pagar a taxa consular, é claro). Eles mandavam as movimentações por SMS, não tinha fila e foram super atenciosos. O visto ficou pronto em DOIS DIAS ÚTEIS!!! Eu achei que ia demorar muito e voltei pra Juiz de Fora... Quanto arrependimento! O Dudu já estava viajando pela empresa (portanto não poderia buscar no VAC) e a ansiedade estava me matando (o visto canadense você só fica sabendo se foi concedido quando pega o passaporte), portanto pagamos mais cerca de 50 reais por passaporte e eles me entregaram na minha casinha muito rapidamente. Resultado: VISTO CONCEDIDO! Até o fim da validade do passaporte (no meu caso, 2018)!!! Uuhuuuuuuuul!!! Nessa hora a ficha caiu: neve, tô chegando!
Uma observação maravilhosa (que não se aplicou a mim, mas se aplicou ao Dudu): Se você já tem visto americano, NÃO PRECISA COMPROVAR RENDA! Apenas preencha os formulários, leve junto com as taxas pagas, fotos e passaporte, e prontinho!


ESTAÇÕES: O Canadá é um país que muitas das suas cidades tem as estações do ano MUITO definidas e escolher com calma a época do ano que você quer ir vai interferir diretamente nos seus passeios e nas coisas que verá por lá. Isso significa que no inverno você vai pegar FRIO e conhecer a NEVE, que no outono as folhas cairão e as ruas estarão COBERTAS de maple leaf (a folha-símbolo do país), que na primavera os parques e ruas estarão absolutamente floridos e que no verão você vai sentir muito calor. Dessa forma, definir a época é FUNDAMENTAL. Escolhemos o inverno, pois, como eu disse, neve era um sonho pra mim. Ir no inverno significa abrir mão de muitos passeios ao ar livre, de atrações que estarão fechadas nessa época (por exemplo o Canada's Wonderland, parque de diversões que eu quero muito conhecer um dia), andar de barco em Niagara Falls, e etc. MAS EM COMPENSAÇÃO, é descobrir um mundo absolutamente NOVO, é poder fazer esportes de inverno, é enfiar o pé na neve e sentir ela chegando no seu joelho, é fazer "anjinho", é descobrir como o país é preparado para viver esses extremos, e, principalmente, viver uma rotina de "coloca casaco/tira casaco" que, apesar de cansativa, é super divertida. Principalmente para nós que moramos no Brasil. E não venha me dizer que você mora no "sul do Brasil" e sabe direitinho como é o frio rigoroso, porque NÃO, você não sabe. Após pegar uma sensação térmica de -40º (sim, QUARENTA GRAUS ABAIXO DE ZERO), acho que hoje eu sei definir bem o que é frio (e falarei sobre ele nos próximos posts).

PESQUISAR, PESQUISAR E PESQUISAR...: Pesquisar é o ponto principal para saber o que você realmente quer conhecer. Google e Instagram foram meus melhores amigos nos meses que antecederam a viagem. Google, vocês sabem como. E Instagram, eu procurava pelas hashtags que tinham a ver com os lugares que eu queria ir, por exemplo: montreal; toronto; niagarafalls; cntower; montrealphotos; quebeccity, dentre outras... Com isso, eu via as fotos que as pessoas postavam desses locais e descobri coisas que nem nos sites eu havia encontrado. Valeu super a pena. Agora, se eu posso indicar UM SITE pra vocês, apenas UM, sem dúvida NENHUMA esse é o Gaby no Canadá. A Gaby é brasileira, mas mora com seu marido e seu dog lindo em Toronto. O site dela é o mais completo de informações sobre tudo o que vocês precisam saber sobre lá... Eu visitava o blog dela TODOS OS DIAS, li tooodos os posts, é uma delícia ler tudo o que ela escreve e compartilha conosco. E ah, ela não fala só de Toronto! Ela viaja o Canadá inteiro e tem muita coisa legal pra ensinar. Vale a pena colocar nos favoritos do seu navegador! Gaby, obrigada por tudo.


Bom, por enquanto é isso. Nos próximos dias vou contar pra vocês nosso diário de viagem. Foram 20 dias inesquecíveis. Não tão intensos de atrações, pois intensidade e neve são coisas que definitivamente não combinam. Isso porque você não vai conseguir ficar andando na rua o dia inteiro... Mas dias intensos de coisas lindas e de muito sentimento bom! Então acompanhe os próximos posts e aproveite junto comigo cada segundinho dessa experiência que vou contar aqui pra vocês.

Por fim, o que eu tenho a falar sobre planejamento, é: sabe aquele ditado que diz "o melhor da festa é esperar por ela"? No Canadá, ela só não se aplica porque apesar de que esperar por ela seja mágico, vivê-la, é indescritível!

p.s.: Tatah Fávero tem muita coisa boa pra falar sobre esse país que definitivamente roubou seu coração.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas