Tudo é relativo. Até os ídolos.




Acho engraçado que a geração que tanto assistia Xuxa Park e Chiquititas hoje fala mal das crianças que assistem ao Rebelde Brasileiro. É incoerente saber que quem tanto pulou com Sandy & Júnior e Angélica tem vergonha de quem "s2" a família Restart, ou os "Beliebers".

Que coisa linda era entrar no meu quarto e ver, em vez de paredes, pôsteres. Eram fotos de todos os tamanhos (até aquelas que juravam ser o tamanho real do seu ídolo). Recortes de revistas, entrevistas, um autógrafo conquistado depois de muito suor (ou até aqueles comprados mesmo, que são xerocados). O negócio era ter a lembrança, como isso se fosse preciso.
Minha mãe sempre foi tranquila mas lembro de amigas que levaram boas palmadas por estragarem a pintura rosa do quarto, com fitas adesivas, colas, e tudo o mais.

Valia tudo. Usar roupas iguais, fazer o mesmo corte de cabelo, seguir todas as tendências e acessórios utilizados por eles. Me lembro de ter uma roupa bege igual a que as Chiquititas usavam no orfanato, e uma bota branca igual a da Sandy. É. Pois é.

Sem contar os anéis-pulseira "da Jade", presilha de cabelo e biquini "da Bionda", terceiro olho (vocês já tiveram que eu sei rs), saia jeans plissada "da Darlene" com meiões listrados e sandália plataforma ou até mesmo juntar as amigas para montar uma banda cover das Spice Girls. Ter cadernos das Meninas Superpoderosas, assistir a desenhos tipo o Laboratório de Dexter, Doug, O Fantástico Mundo de Bob, etc (que saudade!) e me divertir jogando Sonic.

É ÓBVIO que eu considero minha geração muito melhor do que a atual. E sabe por que isso acontece? Porque EU a vivi. Intensamente. Como se não houvesse amanhã. Como se ter uma sandália da Xuxa que vinha com relógio fosse meu último desejo na vida. E é por isso que dou tanto valor a tudo que conheci e amei.

Quem somos nós para julgar a nova geração? Pseudo-adultos, críticos de sofá, ou apenas invejosos porque não temos mais tempo para idolatrar ninguém? Não sei. Só sei que nós julgamos, sim. Isso é vergonhoso, mas acho que tudo o que queríamos era aquela magia toda de volta. E será por isso que assistimos tanto a Big Brother, novelas das 8, e seriados? Para extravasar esse desejo reprimido de "viajar" na frente da televisão? Pode ser.

Só sei que apesar de ter a certeza de que nunca nessa vida haverá uma época tão maravilhosa como a minha de infância, eu acho que as crianças, adolescentes, pré-adolescentes e afins estão CORRETÍSSIMAS de babar por seus ídolos, e escolherem quem elas bem entenderem para chamarem se "seus" e suspirarem de "amor"...

Todos tem direito de serem rídiculos. Eu já fui, você também. E talvez ainda somos.


Comentários

  1. AHHHHHHHHHHH EU AMOOOO SANDY E JUNIORRR AMEI A FOTOO DO POST!!!! e o texto ta lindo tambem concordo com vc! quero mais postsss

    ResponderExcluir
  2. Gente lendo seu post lembrei da nossa adolescência...
    filmando clips,escutando as musicas das nossas cantoras favoritas até tarde! e lembro da foto no seu quarto do show da xuxa ( to certa?) hahaha
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. adorei seu blog, de verdade! e gostei do seu jeito de pensar! to seguindo vc e quero linkar o seu blog lá no meu!
    você tem um banner?
    Beijos!
    http://bolasdemeia.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas